1- INTRODUÇÃO.

Membros do Conselho de Direcção da ANDA

reunidos na presença do Secretário Executivo

do Fundo Lwini, balanceando as

atividades do projecto Vem Comigo.

O presente relatório quinquenal, visa fundamentalmente balancear as actividades desenvolvidas no período compreendido de Abril de 2003 a Setembro de 2008.

O volume das actividades levadas a cabo em prol das pessoas com deficiências a nível nacional, é de considerar, pois a ANDA, fundada a 1 de Fevereiro de 1992, de acordo com o seu objecto social; é uma Organização constituída por pessoas com deficiência, cujo seu objectivo é a defesa e promoção dos interesses dos seus associados.

Os dados estatísticos constantes neste relatório foram colhidos pelos técnicos especializados e ao serviço integral desta Associação, pois sem o mínimo destes cuidados seria um estrangulamento do processo que estou apto a servir.

2 -ACTIVIDADES EM DESTAQUE:

Neste importa salientar que durante o período em balanço, destacam-se as seguintes actividades:

– Realização de (5) cinco reuniões do Conselho de Direcção alargado.

– Realização de um seminário de Intervenção Social no seio dos funcionários da ANDA.

– Continuou-se com o trabalho de visitas as 17 províncias para avaliação do grau de cumprimento das orientações saídas no II Congresso realizado em 2002.

– Deslocação ao Brasil (Rio de Janeiro). Onde se manteve encontros de trabalho com a Associação Niteroense de deficientes e com o Centro de Vida Independente do Brasil.

– Participação no seminário de transformação de conflitos e construção de paz, na República da África do Sul promovido pelo (COPA,) Coligação para Paz em África, financiado pelo NIZA onde foram formados duas senhoras e 4 senhores sendo dirigentes e funcionários da ANDA.

Dia em que a Primeira Dama da República de Angola

lançou o projecto Vem Comigo na Província do Bengo

e na presença da Sua Excelência Sr. Ministro do MAPES.

– Foram realizados dezassete (17) seminários de construção de paz e transformação de conflitos no seio dos Ex. Combatentes, Deficientes e suas famílias nas províncias de Bié no Município do Chinguar, Andulo, Zaire no Município Sede, Kuando Kubango no Município Sede, Cunene-Ongiva, Ndalatando-Kuanza Norte e Cabinda no Município Sede. Foram como financiadores destes eventos as ONGs (NIZA) da Holanda, DW-Delegação em Angola e Banco Mundial

– Foi realizado um Workshop, sobre a revisão do planeamento estratégico onde participaram todos dirigentes e quadros da ANDA, sob o financiamento do NIZA.

Presidente da ANDA, recebe da ONG CAUSA

SOLIDARIA a doação de 250 Mototricar para o

auto emprego de deficiente através da

constituição das Cooperativas.

– Deu-se o inicio e continuou-se com o processo de implementação do projecto Vem Comigo, financiado pelo INSS-MAPESS, projecto que visa garantir uma reabilitação integral dos deficientes de guerra, cujo a coordenação administrativa esta a cargo do FUNDO LUINI, a quem cabe o movimento financeiro. Neste foi ainda elaborado o subprojecto denominado Vem Comigo Também que deu inicio com a sua implementação em Abril/2008, que visa integrar os tetraplégicos na sociedade.

– Implementou-se 5 projectos de reabilitação física no seio das vítimas de minas das províncias do Bengo, Lunda Sul, Kuanza Sul sob o financiamento da CNIDAH e PNUD.

Presidente da ANDA em Nova York,

junto a Bandeira da República de Angola.

– Deu-se o início com a implementação do projecto de MOTOTAXI, em Abril de 2008 sob o apoio da ONG Nacional, CAUSA SOLIDARIA, que forneceu a ANDA 250 Mototricar.  

– Participou-se em todas actividades programadas pelo Governo, da FAPED e de outras ONGs a nível Nacional e internacional das que a ANDA teve o convite. Destes destaca-se a participação da ANDA na 46ª Sessão da Comissão Económica e Social das Nações Unidas realizada na sua sede em Fevereiro de 2008 que debateu a questão da entrada em vigor da Convenção dos Direitos das pessoas com deficiência e a participação da ANDA no encontro dos deficientes da CPLP sobre a Convenção das pessoas com deficiência.

– Realização do 3º Congresso Nacional da ANDA e da 2ª conferencia internacional dos ex-combatentes da África Austral.

– Organização do ficheiro de sócios, registo, controlo e emissão dos cartões.

3 ORGANIZAÇÃO INTERNA.

Relativamente a este, à de salientar que a ANDA funciona com um quadro orgânico de (6) seis elementos dos quais: um (1) Secretario Executivo, um Administrador, uma (1) Secretária de Direcção, um (1) responsável de Relações Pública e ao mesmo tempo motorista, (1) Operadoras de Computador, uma (1) Empregada de limpeza, que auferem um subsídio mensal, em quanto a nível das 17 Provinciais é representada por um secretário e dois colaboradores em cada e funcionam em regime de voluntarismos uma vez que não existe fundos suficientes que permitam trabalharem em tempo integral, facto que tem reduzido as actividades da ANDA nas províncias.

3.1  MOVIMENTO FINANCEIRO.

Viatura do Projeto Vem Comigo, à serviço da ANDA.

Nesta importa salientar que durante o período em balanço movimentou – se alguns meios financeiros, que serviram para cobrir as despesas; encargo com os projectos, pessoal administrativo, funcionamento das instalações, consumo corrente e deslocações. Contou-se com o apoio financeiro da Sonangol, Quotização dos sócios, doações e financiamentos de projectos Para mais detalhe vide o mapa do movimento financeiro.

3.2 DO PATRIMÓNIO.

Para mais detalhes o mapa em anexo demonstra o tipo do património existente na sede da ANDA. Neste; importa salientar que continuamos a trabalhar nas instalações que nos foi emprestado pelo MAPES facto que nos preocupa uma vez que sendo instalações em regime de empréstimos não podemos efectuar nela quaisquer transformações.

4- NO DOMÍNIO DA COOPERAÇÃO, INFORMAÇÃO E ADVOCACIA.

Deficientes, vítimas de minas

reabilitados com os apoios obtidos pela ANDA.

Neste domínio realizaram-se inúmeras actividades relacionadas com advocacia, informação e angariamento de parceiros para a Organização, das quais podemos destacar alguns contactos efectuados a Instituições do Estado, ONGs estrangeiras e Embaixadas acreditadas em Angola.

5- NO DOMÍNIO DA REABILITAÇÃO INTEGRAL, CULTURA E DESPORTOS.

5.1- Reabilitação Física:

Neste ao longo do período em balanço envidaram inúmeros esforços que permitiram a elaboração de projectos que mereceram o financiamento do PNUD e CNDAH, o que permitiu que um número satisfatório de pessoas com deficiência física fosse reabilitado fisicamente. Vinde o mapa em anexo.

5.2. Formação profissional

Neste o mapa em anexo elucida o número das pessoas com deficiência formados profissionalmente e com o apoio da ANDA através dos projectos implementados.

Importa ainda salientar que em breve será inaugurada a 1ª escola de formação dos deficientes em condução de viaturas e motociclos, cujo financiamento foi pago pela Direcção do MAPESS. Por outro lado a Direcção Provincial do MAPESS de Luanda concedeu a ANDA um pavilhão de artes e ofícios com a finalidade de o gerir e facilitar a formação profissional de deficientes.

Ainda neste domínio, desenvolveu-se actividades de formação dos activistas para a transformação de conflitos e manutenção de paz num total de 28 seminários em 8 Províncias tendo sido formados 420 elementos, que ajudaram bastante no processo de educação cívica das pessoas com deficiência durante o período da campanha eleitoral que decorreu no país. Importa ainda que os formadores que ministraram estes seminários foram formados na África do Sul no total de 7 elementos ambos quadros da ANDA, com o apoio da Coligação para Paz em África (COPA).

Deficientes reintegrados na agricultura

no Município de Chinguar que se beneficiaram do

apoio do projeto Vem Comigo, com duas juntas de bois.

5.3- Reintegração.

Durante a 3ª face que se espera encerrar o PVC, beneficiou 1.472 deficientes físicos de guerra num gasto total em Kwanzas de——valores provenientes do financiador. Para efeitos consideramos que 8.615 são beneficiários indirectos de acordo ao cálculo efectuado de 1×5 famílias.

Por outro lado, reconhecemos que em Angola existe um numero elevado de deficientes de guerra que necessitam de uma reabilitação integral e para tal a actividade do PVC deve servir de exemplo pois constatamos ser o melhor método em relação ao utilizado anteriormente, o da entrega de KITS sem o devido acompanhamento.

Constatamos também que a maioria dos beneficiários residem nas Províncias do Centro, Sul e Leste de Angola e de acordo com a situação das vias de comunicação tornou-se difícil a transportação dos kits de trabalho.

Deficientes Mendigos que se beneficiaram dos

apoios da ANDA e reacentados.

Consideramos ser importante a constituição das cooperativas de produção tais como: Agrícolas, Industrias, Moagens, Pesca Artesanal, moto-taxi, Oficinas Mecânicas, de Serralharia, Sapatarias, Fabricação de Blocos solo e a cimento, Construção em pequenas escala, Carpintarias e marcenaria.

e) Assistência Social. 

Neste domínio inúmeras actividades foram desenvolvidas na entrega de (45) Cadeiras de rodas aos deficientes da Província de Luanda, Cadeiras estas doadas pelo Fundo Lwini, e outras adquiridas pelo PVC foram também apoiados cinco (5) deficientes no pagamento de suas propinas, 15 deficientes apoiados com medicamentos e 17 com ajudas em passagens de retorno as suas províncias.

Deficientes recolhidos nas ruas, foram apoiados socialmente pelo projecto Vem Comigo com chapas de zinco

e com animais para cria na província do Huambo.

Mulheres vítimas de minas apoiadas pela ANDA

através do Projeto Vem Comigo.

– NO DOMÍNIO DA MULHER E CRIANÇA DEFICIENTE.

Por motivos alheios a vontante do Departamento nada de relevo a registar senão a participação em programas das datas comemorativas ao 3 de Dezembro e nas do dia da mulher.

7- DIFICULDADES. 

 

Inúmeras foram as dificuldades no período a que fazemos referência e pensamos nós serem conjunturais, destacando-se a falta de uma sede condigna, falta de fundos para o melhor funcionamento da sede e para implementação de mais projectos sociais. Importa a salientar que o não reconhecimento da ANDA como uma Organização de utilidade pública dando o tempo que ela existe no Pais tem contribuído muito bastante nas dificuldades que no deparamos.

 

8- PREVISÕES.

 

Para o próximo quinquénio, prevê-se a continuação com processo de elaboração, capitação de financiamento e implementação de projectos nos domínios de:

1º- Projecto sobre o inquérito Nacional sobre a deficiência em Angola com a finalidade de se obter dados reais das pessoas com deficiência existentes em Angola.

2º- Projecto gerador de rendimentos (construção de casas para aluguer e venda bem como hospedarias, restaurantes, centros sócias e hotéis) capaz de apoiar as iniciativas dos deficientes que queiram ser pequenos produtores.

3º- Projecto sobre o Turismo de deficientes.

4º Projecto de construção de um centro de aconselhamento e orientação das pessoas com deficiência a nível das regiões do país de forma a mudar os comportamentos e atitudes de muitos deficientes que preferem o mendigar ao invés de ser firmado e reintegrado no processo produtivo.

5º- Projectos que visam criarem cooperativas de produção agrícola, de artes e ofícios, pesca artesanal, de prestação de serviços e oficinas protegidas de forma a se criar postos de trabalho para a reintegração de deficientes no processo produtivo. 

Em anexo os mapas demonstrativos e os respectivos gráficos para a melhor ilustração.

 

AGRADECIMENTOS.

Importa neste reconhecer os apoios que merecemos durante o período em referência o que nos permitiu desenvolver algumas actividades em prol do bem-estar das pessoas com deficiência em Angola, destes destacam-se:

1º Ministério de Administração Pública Emprego e Segurança Social-MAPESS.

2º Ministério de Assistência e Reinserção Social -MINARS

3º Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos de Guerra-MACVG

4º Governo Provincial do Bengo.

5º CNIDAH.

6º- SONANGOL

7º PNUD.

8º-BANCO MUNDIAL, Delegação em Angola

9º  DW- Delegação em Angola.

10º Instituto Holandês para o Sul de África Holanda.

11º -Visão Mundial Delegação em Angola

12º- Governo Provincial do Kuanza Sul.

 
 
 
 

       

 
 
 
Translate »